10 pontos mais importantes sobre finanças para pequenas empresas

Finanças para pequenas empresas

Seguem os 10 pontos mais importantes sobre finanças para pequenas empresas:

1- QUAIS SÃO SEUS ATIVOS?

Sim, sabemos que ativos são tudo aquilo que a empresa possui. Controlar a quantidade de equipamento, mobília, imóveis e outras posses deve ser tarefa fácil. Mas para ter uma idéia real do valor da empresa, também será necessário acompanhar as oscilações do valor desses bens. Não é incomum vermos pequenas empresas localizadas em imóveis que valem mais que o próprio negócio. (Será que todos temos esse problema?) Da mesma forma, também será uma boa prática verificar o declínio no valor (depreciação) de bens como computadores e móveis de escritório.

2- QUAIS SÃO SUAS OBRIGAÇÕES?

Mais uma vez, é uma tarefa aparentemente fácil — obrigação é que você deve. Mas suas dívidas nem sempre são óbvias como um boleto bancário. Impostos sobre a folha de pagamento são um tipo de obrigação que você pode adiar mensal ou trimestralmente, dependendo do tamanho da empresa. Empréstimos são uma obrigação clara, mas ao pagá-los é uma boa idéia controlar o quanto foi gasto no principal e nos juros.

Recomendamos para você:  Tesouraria – O que você deve saber para aplicar a Gestão de Recursos na sua PME

 

3- QUAL É O CUSTO DE PRODUÇÃO DAQUILO QUE VOCÊ VENDE?

Se você estiver comprando um item pronto para revenda, essa é uma tarefa relativamente fácil. Fica mais complicado quando é preciso calcular todos os fatores, como mão-de-obra, que integram a fabricação de um produto.

4- QUANTO CUSTA VENDER?

Este é um ponto muitas vezes negligenciado quando se fala em finanças para pequenas empresas: publicidade, marketing, mão-de-obra, estoque e a categoria genérica da sobrecarga — é útil saber quanto custa colocar um produto no mercado, bem como o custo de sua criação.

5- QUAL É A SUA MARGEM DE LUCRO BRUTO?

Este cálculo é feito dividindo-se o total de vendas pelo lucro bruto. Se a margem de lucro bruto permanecer consistente ou tender a subir, é provável que você esteja ajustando os preços adequadamente para refletir as mudanças entre o preço pago e o custo da venda ou produção.


 

A possibilidade de identificar uma margem em declínio permite que você ajuste seus preços ou custos. Na pior hipótese, é claro, o lucro bruto e a margem bruta desaparecem totalmente. Nesse caso, você será como a pessoa que perdeu dinheiro em todas as vendas, mas imaginou que pudesse compensar no volume. Não siga esse caminho.

Recomendamos para você:  Entenda a importância de conhecer o ponto de equilíbrio da sua empresa

6- COMO ANDA A RELAÇÃO ENTRE DÍVIDAS E ATIVOS?

Essa relação pode permitir que você conheça a quantidade de itens que existem na empresa e que pertencem à outra pessoa — seu financiador. Um aumento nessa relação pode ser um mau sinal — ele tanto pode ocorrer devido a uma grande expansão, como indicar que você está dando um passo maior que a perna.

7- QUAL É O VALOR DAS CONTAS A RECEBER?

Esse é o montante que outras pessoas devem a você. Valorize a capacidade de controlá-lo: se as contas a receber estiverem aumentando, isso pode ser um sinal de que o pessoal que está comprando de você está começando a tropeçar. E isso é especialmente verdadeiro se as contas a receber, como porcentual do total de vendas, estiverem aumentando.

8- QUAL É O TEMPO MÉDIO DE COBRANÇA DAS CONTAS A RECEBER?

Provavelmente, esta é uma das informações mais importantes nas finanças para pequenas empresas que estão em contenção de despesas, porque ela indica o tempo durante o qual você atuará como ‘banqueiro’ para seus devedores. Para calculá-lo, você precisará conhecer a média diária de vendas e dividi-la pelo número de contas a receber.

9- QUAL É O VALOR DAS CONTAS A PAGAR?

O outro lado das contas a receber. Um aumento nas contas a pagar pode simplesmente refletir uma política de alongamento do prazo de pagamento de contas, ou um número maior de compras. Mas um aumento não planejado ou gerenciado pode ser um aviso interno de que a estrutura financeira da empresa está enfraquecendo.

Recomendamos para você:  Agência de Marketing – Como escolher o melhor tipo para empreender

 

10- O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM O ESTOQUE?

Algumas vezes, até mesmo no mundo do negócio just-in-time, é uma boa idéia montar um estoque robusto.

Se os preços dos itens que você vende ou usa na produção estiverem relativamente baixos, pode fazer sentido investir algum dinheiro no estoque. Eu mesmo gostaria de ter estocado um tanque cheio de óleo para aquecedor na última primavera, quando o preço estava em torno de US$1 por galão.

A capacidade de controlar o estoque e de saber quanto tempo ele demora para ser vendido ou transformado permite identificar se o negócio está crescendo ou minguando. Essa capacidade também indica o valor que poderia ser usado em outros pagamentos e investimentos e que está atrelado a esses bens improdutivos.

O controle desses dez importantes fatores e o acompanhamento do fluxo de caixa são essenciais para a saúde da empresa; por isso, não tenha medo de procurar ajuda junto a profissionais e fornecedores de serviços.

Se você precisa de ajuda para organizar estes fatores, clique aqui .

Fonte:https://capitalsocial.cnt.br/pontos-importantes-sobre-financas/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Voltar ao topo